Fuscas

Loading...

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Dicas Preciosas Para Comprar um Fusca

Fala amigos e amigas, tudo bem,

vai encarar?



Vi esse texto ha alguns dias no forum fusca brasil e resolvi compartilhar com vocês.
Ja tive alguns problemas com fuscas que comprei e que descobri somente algum tempo depois da compra e que me deram muita dor de cabeça, e acredito que muitos de vocês também viveram situações semelhantes...
Por isso, para aqueles que pretendem iniciar-se nessa paixão ou comprar outro fusca ou derivado, compartilho com vocês este precioso texto, com informações fundamentais para não fazer cagada na hora de comprar um fusquinha.

"Dicas na Hora de Comprar um Fusca"


por Kirk,

MOTOR


Fusca é barato em muita coisa. Infelizmente a reforma (retífica) de motor não é uma delas. O preço do serviço é afetado por muitas variáveis, mas raramente sai menos que mil reais, podendo chegar a cerca de R$ 2.300 quando feita a retífica completa com peças de primeira linha e nas mãos de um mecânico realmente profissional. A boa notícia é que você não precisa ser engenheiro mecânico pra fugir das roubadas. Bastam 5 testes básicos

1 – O TESTE DA POLIA 
Com o motor desligado, ponha o Fusca em ponto morto. Abra a tampa do motor. Você verá uma polia grande e uma pequena, ligadas por um correia. Pegue a polia grande, com as duas mãos e tente (com toda sua força) sacudir a polia para frente e para trás. Se sentir qualquer folga, mesmo pequena, o motor tem problema (caro) de folga no virabrequim. Ele até poderá rodar um bom tempo assim, mas sua confiabilidade e durabilidade estão em risco. A menos que o carro esteja MUITO barato, não vale a pena. Procure outro.

2 – O TESTE DA MANGUEIRA
Do lado direito do motor, há uma tampa por onde se põe o óleo novo. Junto a ela, existe uma mangueira que vai ao filtro de ar. Desencaixe a mangueira neste ponto e ligue o motor. Ponha a palma da mão perto da boca da mangueira e peça pra alguém acelerar o carro. Se sentir um fluxo de ar (sopro) forte (o certo é não ter quase nada), os anéis dos pistões estão gastos e a compressão vaza para o cárter e sai pela mangueira fazendo o Fusca perder força quando você exige mais da máquina. Problema caro, pois exige no mínimo desmontagem parcial do motor para trocar de anéis e bronzinas, além de possível retífica. Fuja.

3 – O TESTE DA POCINHA
O ideal é que você examine o carro onde ele costuma ficar. Ou, ao menos, após ele ficar estacionado no mesmo lugar por uns 30 minutos. Porque? O motor do Fusca, principalmente os 1500 e 1600, são propensos a vazamentos de óleo. Às vezes, vendedores de má fé procuram esconder vazamentos lavando o motor (por isso desconfie de motores brilhando). Mas logo após a “maquiagem” ele volta pingar. A pocinha denuncia a sacanagem. Um Fusca roda com esse problema sem maiores inconvenientes, desde que se cuide o nível do óleo com alguma frequência. Mas é um negócio chato e o conserto pode ter um custo meio elevado. Além do teste da pocinha, procure ver o motor por baixo para detectar vazamentos, o que pode ser visto nas peças melecadas de óleo. 

4 – TESTE DO FUMACÊ
Motor saudável não solta fumaça visível pelo escape, exceto em clima muito frio e úmido e no momento em que é ligado. (No Fusca isso é visível principalmente quando o carro fica estacionado em local inclinado). Ligue o motor e peça que ele seja acelerado enquanto você olha para o escape. Fumaça escura é carburação desregulada (rica). Fumaça clara azulada é óleo queimado, o que indica problema mais sério, possivelmente exigindo abertura do motor. Fuja. Ou negocie um bom desconto.  

5 – TESTE DA BARULHEIRA 
Com o motor ligado, procure um cabo de aço junto ao carburador. Empurre a peça do carburador onde ele se conecta em direção à frente do carro, acelerando-o. Faça isso devagar e mantenha em cada nível de rotação por alguns segundos. Solte rapidamente e volte a acelerar. Se ouvir qualquer estouro ou ruído metálico, pode ser motor fora de ponto (conserto barato), escape furado (mais ou menos barato) ou problemas de válvulas (caro). Carburadores molhados e fedendo a gasolina geralmente estão pedindo reforma ou substituição (meio caro). 

SUSPENSÃO

A suspensão do Fusca é simples e muito resistente. Mas alguns cuidados são importantes:- Olhe o carro de frente a uns 4 metros de distância. Repita a operação por trás. Ela não deve estar com a carroceria inclinada para um lado, o que pode indicar feixes de mola quebrados ou facão desregulado. Desconfie de carros rebaixados. Frequentemente estes têm amassados e arranhões por baixo, o que facilita a corrosão, além de terem mais chance de sofrer danos no chassi ou suspensão. Verifique a forma como o carro foi rebaixado. Se foi sem catraca, com retirada de feixes de mola, a chance de quebra dos feixes restantes e o desconforto ao rodar serão grandes. Atualmente, a suspensão rebaixada, por lei, deve usar sistema fixo, o que desqualifica a catraca. Portanto, olho vivo: você pode ter problemas na vistoria de transferência do Fusca.- Pegue o carro pelo pára-choque dianteiro e sacuda-o para cima e para baixo. Solte e observe: o carro deve voltar à posição original no mesmo instante. Se ficar oscilando como uma mola solta, os amortecedores estão no prego. Falando nestes, procure virar as rodas dianteiras e observe estes componentes. Eles não devem estar melecados de óleo, o que significa que estão inutilizados. Na medida do possível, faça o mesmo nas rodas traseiras. Outros indícios de amortecedores ruins: a frente do carro afundar em freiadas fortes, ou o veiculo inclinar-se muito e canta pneus nas curvas (mesmo sem muita velocidade) ou, ainda, bater "seco" ao passar por obstáculos tipo quebra-molas. Outro detalhe importante: amortecedor recondicionado não presta. Ainda mais no caso do Fusca, onde a diferença de preço de uma peça recondicionada e nova gira em torno de R$ 20.- Tremores na direção com o carro andando indicam peças da suspensão com folga (pivôs, terminais de direção) ou falta de balanceamento nas rodas ou geometria. Conserto de custo médio. Com o carro andando, solte a direção. Ele deve seguir em linha reta. Senão, no mínimo, precisa de serviço de geometria que custa em média R$ 25. Um truque comum de vendedores mal intencionados é esvaziar bem os pneus pois assim alguns ruídos somem. Olhe para eles antes de andar com o carro. Se estiverem visivelmente murchos, pare num posto e coloque pelo menos 18 libras nos dianteiros e 22 nos traseiros. Só depois faça o teste de rodagem.

EMBREAGEM- Pedal de embreagem muito duro indica cabo em mal estado (barato) ou embreagem indo pro saco (caro). Andando com o carro em terceira ou quarta, acelere fundo. Se sentir o carro trepidando ou houver patinação (motor subir rapidamente de giro sem ganho correspondente de velocidade), é mais provável que a embreagem esteja ruim mesmo, embora também possa ser apenas caso de regulagem. A trepidação na arrancada também é sinal de problema. Uma troca de embreagem, com peças novas, fica em torno de R$ 350.- Ali ao lado temos o acelerador. É um mecanismo muito simples. Se estiver duro provavelmente é apenas o cabo sem lubrificação. Barato e simples de arrumar.

CÂMBIO- O câmbio do Fusca tem engates secos e muito precisos. Se houver qualquer dificuldade de engatar uma marcha, há problemas ou na região do comando da alavanca (geralmente de conserto mais barato), dentro da caixa (conserto caro) ou embreagem desregulada ou com problemas no seu cabo de acionamento. Na dúvida, consulte um mecânico. Uma caixa à base de troca gira em torno de R$ 400. Ronco alto que só some apenas em ponto morto indica problemas nos rolamentos ou engrenagens da caixa: conserto caro.

DIREÇÃO, FREIOS E RODAS- Experimente frear forte mas não de sôco. O carro não deve puxar para os lados ou dar "soquinhos". O que indica possível problema de freios, como discos ou tambores empenados ou gastos. Logo após rodar com o carro, ponha as mãos em cada roda. Se estiver bem quente, o freio está com problemas naquela roda e precisa de reparo urgente. Para quem nunca teve Fusca, a força necessária no pedal pode parecer um pouco maior, mas isto é característica do carro que não possui servo-freio. A puxada para o lado também pode indicar problemas graves de chassi torto. Consulte um mecânico neste caso. - Se possível, ponha o carro num elevador e gire as rodas. Elas devem estar bem soltas e não fazer ruídos. Caso contrário, é possível que os rolamentos estejam secos/avariados.

- Volante: Ao começar a girá-lo, você vai notar que ele faz um pequeno movimento mais leve e então fica bem mais pesado e efetivamente começa a girar as rodas. A este movimento "leve" se chama a folga do volante. Pela característica de construção, o Fusca deve ter um pequena folga, mas se ela for de mais de 1 ou 2 cm, desconfie. No mínimo a caixa de direção precisa ser regulada. E no máximo, trocada (caro). A direção também não deve "estalar", o que pode indicar igualmente caixa condenada ou folga nos terminais.

- Pneus hoje em dia são itens caros. Dê preferência a um carro que os tenha em bom estado. Um pneus original colocado não baixa muito de R$ 120. Verifique também se o seu desgaste é uniforme. Caso contrário, pode haver problema de regulagem de geometria ou suspensão danificada. Os Fuscas até 86 vinham de fábrica com pneus convencionais finos, de baixo desempenho e durabilidade. Pneus modernos radiais - que equiparam os modelos de 93 a 96 -  diminuem um pouco o conforto da rodagem, mas dão ganho grande em estabilidade e durabilidade.

LATARIA/CARROCERIA/PINTURA

- Pintura. Sempre a verifique sob a luz do sol e nunca molhada. Partes com pintura mais áspera ou porosa ou em tom diferente do resto indicam trabalho mal feito de repintura ou excesso de massa plástica. Bolhas sempre escondem ferrugem por baixo, exigindo repintura da peça e chapeação. Passe um imã envolvido em pano. Se em algum ponto o imã não grudar, há excesso de massa neste ponto da carroceria, o que indica trabalho porco.

- Lata é mais caro e complicado de arrumar que motor. Olho grande! Verifique se os vãos (espaços) entre as peças é igual e uniforme em ambos os lados. (exemplo: a distância da porta à coluna da carroceria, ou da tampa do motor para a carroceria). Uma irregularidade aqui pode indicar batida mais forte/reparo mal feito. As partes mais baixas da carroceria do fusca são muito sujeitas à corrosão. Olhe o berço do estepe por dentro e por fora (chão do compartimento onde fica o estepe); o assoalho (chão) no interior do carro (tire qualquer tapete que houver) e caixas de ar. Estas são as vigas ocas que formam as bases da lateral da carroceria, formando o batente inferior das portas. Elas começam embaixo do banco traseiro e vão até perto dos pedais do motorista; Não seja tímido: dentro do carro, levante o carpete ou coisa que houver, junto ao assoalho e veja bem o estado da lata ali. Também levante o assento do banco traseiro (é só encaixado, mas pode exigir um pouco de força). Desconfie de assoalhos recém pintados. Saiba que uma troca de assoalho raramente custa menos de R$ 300 ou 400, ou mais. Se possível leve o carro a uma oficina ou posto com elevador hidráulico e examine o assoalho também pelo lado de fora. Outros pontos comuns de corrosão:- Em torno das borrachas dos vidros- Embaixo de toda extensão da borracha do porta-malas dianteiro (levante-a para checar)- Parte inferior das portas, tanto do lado de dentro quanto de fora.- Por dentro das caixas das rodas. - Sob a bateria, que fica instalada dentro do carro, sob o assento do banco traseiro.Respingos de tinta nas borrachas e painel indicam pintura recente e descuidada. Cuidado.- O fechamento das portas deve ser checado com os vidros fechados. Caso contrário, elas provavelmente fecharão com facilidade mesmo que estejam com problemas. O certo é elas não exigirem grande força para fechar. Outro teste: com a porta aberta, procure erguê-la com as mãos (não precisa usar muita força). Se houver folga e a porta exigir força pra fechar, os pinos das dobradiças devem estar gastos ou a fixação da porta às dobradiças está avariada. Se não houver folga mas a porta fechar exigindo força, pode ser apenas falta de regulagem do trinco. 

ELÉTRICA- Nos Fuscas com dínamo é normal a luz da bateria no painel ficar acesa e oscilando em marcha-lenta, pois nessa situação o dínamo não carrega bateria. Mas ao acelerar, a luz deve apagar-se totalmente rapidamente, senão é problema. Em Fusca com alternador, a luz não deve ficar acessa em nenhuma situação, exceto, às vezes, com o motor frio recém ligado. Desconfie principalmente se a luz se manter acesa com o motor sendo acelerado. Conserto de alternadores ou dínamos geralmente são caros e mão-de-obra competente (especialmente para dínamos) é escassa. Com o motor ligado, acione todos os acessórios elétricos do carro ao mesmo tempo (faróis, piscas, rádio, limpador do párabrisa). A luz do painel não deve acender e nem o carro apagar. 

ACESSÓRIOS
- Afogador. É extremamamente comum este sistema não estar funcionando. A razão é que o cabo do afogador não possui conduíte próprio. Ao invés disso, ele corre em um túnel metálico acoplado à própria carroceria. Este túnel vai perdendo a lubrificação e se enchendo de sujeira, o que acaba por deteriorar, travar e partir o cabo. Normalmente, o afogador é dispensável no Fusca à gasolina. Porém, dependendo da regulagem e estado do motor, ele pode fazer falta ainda mais se você usar o carro em locais com clima frio. Caso o cano por onde seu cabo corre estiver amassado ou corroído, pode ser muito difícil fazer a troca do cabo.O Fusca conta com poucos acessórios de fábrica. Os mais requisitados, por representarem mais confiabilidade e menor manutenção, são os freios a disco dianteiro (ao invés de tambor), ignição eletrônica (ao invés de platinado), alternador (ao invés de dínamo) e pneus radiais (ao invés de convencionais). Com exceção de algumas versões, todos estes acessórios equiparam apenas os Fuscas fabricados após 82 (93, no caso dos pneus). Mas podem ser adaptados com bons resultados e sem dificuldades nos modelos que não os possuem.

OUTROS- Plaqueta de identificação. Atrás do estepe há uma plaqueta em alumínio com números em alto relevo. Se ela não estiver lá ou se estiver pintada na cor do carro, desconfie. No mínimo o carro teve a frente toda pintada ou teve a frente trocada e a plaqueta ficou pra trás. Ela é presa com 2  rebites bem no meio em ambos os lados. Fixação diferente: de 1986 em diante, esta plaqueta mudou de lugar, ficando na lata próxima ao velocímetro.

- Não importa quão bom esteja o carro se os documentos tiverem problemas. Antes de comprar o carro, solicite a placa e código Renavan e cheque no site do Detran de seu Estado para certificar-se quanto a multas, restrições e alienações financeiras. Verifique o número do chassi sob o banco traseiro (basta desencaixar o assento) e veja se bate com o documento. Desconfie se os números estiverem tortos ou com marcação muito rasa. Uma malandragem comum é cortar fora apenas o pedaço do chassi onde está este número e soldar em outro, para “esquentar” legalmente um carro. Nem sonhe em pegar um carro sem documentos e cheque dívidas atrasadas. No motor, na base do dínamo há a numeração do motor. Se ela não existir, ou estiver apagada, você pode ter problemas legais sérios. Outro detalhe importante: a maioria dos Detrans exige que o número do motor do carro esteja cadastrado. Se não estiver, você não conseguirá colocar o carro no seu nome.

- Caso você esteja procurando um Fusca mais antigo, anos 60 para baixo, e deseje originalidade, faça uma boa pesquisa quanto aos itens originais de acabamento e verifique bem o que falta no carro que pretende comprar. Este cuidado é importante porque muitas peças mais antigas são caras e/ou difíceis de achar ou reformar, o que pode causar um grande custo na restauração. Uma bananinha (antigo sinalizador que substituía o pisca-pisca) pode chegar a 2 mil reais. Um trabalho de estofaria no padrão original dos bancos chega facilmente a mil reais. 
Também cuide com os "cabritos". Fuscas montados com peças de diferentes carros. O mais comum é pegar-se um chassi mais antigo e se pôr uma carroceria de Fusca mais novo em cima. Evite estes carros. Para saber se o carro é cabrito é preciso conhecer alguns detalhes. Por exemplo: as "orelinhas" (grades de ventilação vistas atrás do vidro lateral traseiro) só começaram a sair a partir de 74. Então se vc ver um Fusca 71 com esta característica, pode ser cabrito. Outro "hábito" comum era "modernizar" o Fusca trocando-se peças por de versões mais novas. Exemplos frequentes são os modelos anteriores a 79 com lanternas Fafá (grandes e redondas). Fuscas até modelo 72 devem ter farol olho-de-sapo que têm a lente inclinada pra cima. De 73 em diante, o farol é igual ao dos Fuscas modernos.
- Raramente carros com aparência mal cuidada têm a mecânica bem cuidada. Desconfie.
- Dê preferência a particulares. Lojas sempre vão cobrar mais caro por carros que muitas vezes não valem mais. 
Seja paciente: raramente você vai achar o carro dos sonhos antes de ver muita porcaria.Estas são algumas dicas básicas. Elas servem apenas pra detectar algum problemas mais sérios. Muito provavelmente o Fusca que vc comprar terá outros problemas mais simples que você só notará depois. Mas seu conserto será simples. E até divertido.



44 comentários:

  1. po cara valeu pela dica ,pena que comprei um fusca antes de ler seu texto hahahah!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Somos dois, amigo! kkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    2. Nanananão! Somos três! Kkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    3. é amigos tenho que dizer que somos 4

      Excluir
    4. somos 6 acabei de compra um

      Excluir
  2. kkkkkkkk eu tb, comprei antes de ler.. meu veio com cabeçote, chapeu e assoalho tudo ruim!!!!

    ResponderExcluir
  3. vlw amigo!!!
    show
    poxa o meu e um cabrito bem feiito rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkk o meu tbm 73 com orelhinha!! cabrito bem feito

      Excluir
  4. Marcos,

    Comprei um fusquinha 64 e dei sorte, ufa!!!

    ResponderExcluir
  5. Feio é teu pai que te coloco no mundo com sua mãe

    ResponderExcluir
  6. po brigadao cara compprei um 72 que ta file de mais so usei suas dicas para compralo ok valeu mesmo.

    ResponderExcluir
  7. CARA COMPREI UM ANOS 80, CINZA TÁ INTEIRO, ALGUNS AJUSTES É CLARO MAIS NADA CARO, VOU VIAJAR 240KM MÊS QUE VEM, AGORA TRANQUILO COM ESSAS DICAS.

    ResponderExcluir
  8. Não troco meu fusquinha por nada meu companheiro 74 polivalente tem ate nome Todinho

    ResponderExcluir
  9. Pô cara vc entende mesmo de fusca! Parabéns Vitor pelas dicas! Com elas fica difícil de ser enganado! Muito úteis as suas explicações!Hoje em dia é difícil de se achar pessoas deste nível, querendo ajudar os outros! Bacana a sua atitude!!!Tenho um fusca 72, é o nosso xodó! Abraço e continue assim! Vamos lá divulgar o nosso amor pelos fuscas!!!

    ResponderExcluir
  10. Eu e meu pai somos apaixonados por fusca, mu pai já teve 7 fuscas, mas agora esta com um só 68 bege, eu consegui o meu primeiro há poucos meses, um 74 marrom vou deixa-lo num estilo hoodride rsrs... obrigado pelas dicas, foram sem dúvida muito úteis.

    ResponderExcluir
  11. Putz...O meu 74 tá rebaixado, roda de brasília, cambagem aberta, volante pequeno, pneu 195, sonzeira, motorzinho original e dínamo, assoalho novo (foi trocado de tanto raspar nos quebra-molas), escape aranha, pintura nova a 1 ano e meio, puxa para os lados quando freia, e de 4ª marcha é meio instável fica balançando com folga no volante...kkkk... mano, mas troco por nada nesse mundo, e quero até o fim ficar mexendo nele, ajeitando as coisas devagar quando o bolso dá...

    ResponderExcluir
  12. mano, devia ter visto suas dicas no MÊS PASSADO, KKKKKKK

    ResponderExcluir
  13. Depois da experiencia que tive e essas dicas maravilhosas so dou no maximo 1000 a 1200 em fusca

    ResponderExcluir
  14. To com uma dúvida cruel, achei um 85 1600 gasolina, o estado da carroceria é excelente, assoalho chega a brilhar, sem nada de ferrugem, chapéu, cabeçote, tudo de bom, o motor puxa muito, se largar o volante vai sempre reto, tem rodas novas de brasília, pintura interna original tá perfeita, a externa tá boa, vidros lisos, já tem película, mas ai que vem minha dúvida, a caixa ta roncando, não escapa nenhuma marcha, mas mandar arrumar pode custar uns R$800,00, penso em trocar por outra, o valor do fusca é R$2.800,00, pensei em pedir desconto de R$800,00!
    Se alguem tiver ideias, me ajudem por favor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara...eu acho que vc compra,o carro pelo jeito ta muito bom e por esse preço nao se acha fusca assim.Se fosse eu, eu comprava nem que mandava arruma em um mecânico bom e parcelava...abraço

      Excluir
  15. tenho um 73 ocremarajó, estou arrumando aos poucos, tá ficando show!!

    ResponderExcluir
  16. Dicas muito importante, comprei um ano 80 seguindo tudo isso aí valeu amigo.Caruaru, Pe

    ResponderExcluir
  17. tenho uma duvida eu moro em araguaina tocatins gostaria de viaja no meu fusca 1300L 78, como qualquer outro carro para lugares longe tipo palmas e brasília , algumas pessoas dizem que ele esquenta muito e que eu teria que fika parando toda cidade pra esfriar motor < outra disser que eu vou gata muito com gasolina pois fusca nao corre muito e faz pouco km com litros oque vcs acha???? lucas_miranda_tavares@hotmail.com

    ResponderExcluir
  18. O meu esta com o capo desalinhado

    ResponderExcluir
  19. show de bola!!
    o meu 1300L 73 restaurei...agora vou fazer esses testes do motor...pelo menos nas inspeções ele é tri o meu rs

    ResponderExcluir
  20. gostei muito dessas dicas meu fusca é 73 e estou com probleminhas de tremores no volante ao passar por lombos e buracos quando estou em velocidade elevada, tirei minhas dúvidas já sei onde vou mexer para resolver o problema.



    ResponderExcluir
  21. Comprei um Fukão 78, não vejo a hora de bota-lo para rodar. Quanto a sua postagem, achei excelente. Obrigado. Obs: como aconteceu com outros amigos, só entrei nessa página após comprar o tal kkkkk... Abraços

    ResponderExcluir
  22. vei comprei semana passada . ea agora q eu vi essa dica me dei mal . mas gostei esse e meu primeiro carro vou arrumar so o nesesario pra nao me deixar na mao e ser feliz kkkkkkkkkkkkkk obrgado

    ResponderExcluir
  23. Olá, estou pensando em comprar um Fusca, o senhor que quer vender está pedindo R$ 1.500,00. Como o carro tem umas coisinhas pra fazer (porta esquerda, alguns ajustes no motor simples) pensei em pedir um desconto de R$ 300,00. Será uma boa ideia? Ou será que devo procurar um outro? Mas que fique claro que não quero gastar mais que R$ 1.500,00 porque quero comprar peças originais para colocar nele depois.
    Obrigado!

    ResponderExcluir
  24. Olá, herdei um fusca 69 (eu acho!), AZUL, está em minha família há muitos anos, o motor está impecável, a carroceria não apresenta muitos pontos de corrosão, os bancos, volante, motor e painel todo original, porém meu irmão bateu com o carro, mandamos para reformar e ele voltou quase que perfeito senão pela porta do carona que está difícil de fechar e quando em movimento costuma abrir facilmente, meu pai disse que não tem concerto mas têm que TER, preciso de ajuda, não entendo nada de carro e minha mãe quer passar ele pra frente. O QUE FAÇO??? SOCORRO!

    ResponderExcluir
  25. eu acho que você não deveria vender afinal de conta e uma herança

    ResponderExcluir
  26. Comprei um 78 inteirinho a mulher era a segunda dona e tinha ele a mais de 30 anos sem contar que era uma conhecida

    ResponderExcluir
  27. Boas caros loucos,mas uma loucura saudável nossa melhor terapia, bem preciso de um conselho e indicação aqui no Rio: Retífica de caixa onde acho, troca da asa de morcego e bandejas onde fazer e preço medio desses serviços.Grato Luis

    ResponderExcluir
  28. comprei hoje um zé do caixão...69 1600 parado 4 anos alguma restauração mas com peças íntegras, com plaqueta, só um pequeno detalhe prá resolver na frente não tem número na carcaça do motor...
    mas estou satisfeito com ele...vai para a reforma

    ResponderExcluir
  29. Bom dia! Ótimo relato amigo. Moro no Rio Grande do Sul e aqui o inverno é rigoroso, o que posso fazer para não ficar na mão, não ter que usar o afogador, o que posso fazer no motor para melhorar isto, digo, não ficar na mão, entende?

    ResponderExcluir
  30. Pode me ajudar , hoje já reformei toda a carroceria mais estou com uma dúvida cruel e não consigo descobrir a verdade.
    Fusca 1978 1300 L bege.
    Ele veio com painel quadrado que acho que saiu somente em 1982 até o fim da produção.
    Veio com Para lamas e Faróis Fafa que acho que saiu a partir de 1979.
    O bucal da gasolina está certo do lado direito do passageiro que começou em 1978.
    Ele era bege com para choques com borrachão e pintados da cor da carreira.
    Decodificando a numeração do motor e do chassi que é BJ da certo , pois B de Brasil e J de produzido até 1979. Ele veio com a plaquetinha atrás do estepe. E essa é minha dúvida será que é um 78/79 por causa do fafa, será que é uma série especial porque quase não se vê um 78 com detalhes igual o para choques da cor do carro, e o painel então ?

    ResponderExcluir
  31. eu fiz cabrito do meu hehehe eh um 72 e agora ta um 67 com sinaleiras do split hehehe rebaixado e roda de epoca com interior "original ". o q vale eh curtir. uso no fim de semana

    ResponderExcluir
  32. Boa tarde Vitor, estou quase comprando um fusca 79, mas vi que está faltando a plaquetinha de identificação onde vai o estepe, tem problema na hora de transferência? Vi que foi emendado e a placa de trás tem o arame q segura na lataria está quase quebrado e na roda de trás foi soldado uma barra não sei o nome, tem uma folha de sulfite na qual tem a foto do número do chassi e do motor reconhecido firma e me parece q o motor não está cadastrado, o preço deste fusca está R$ 3200,00 com as rodas cruz de malta, meu primeiro carro que comprei com muito suor foi um fusca 68 em 1996 e vejo muitos fuscas restaurados na internet que me deu vontade de comprar um e restaurar. Vc me aconselharia a comprar este fusca ou não? Abraços

    ResponderExcluir